Insira sua pesquisa e pressione ENTER

Justiça??? Degolador confesso de taxista é mandado para casa. E foge…

O caso aconteceu na madrugada de sábado (01) em Cachoeira do Sul, no interior do RS.

Júnior Vanderlei Viana, de 19 anos, foi preso junto com a namorada de 16 anos, depois de degolar com golpes de canivete o taxista Paulo Rogério da Rosa Morales, de 53 anos.

O corpo da vítima foi deixado às margens de uma rodovia.

Preso pela polícia e tendo confessado a barbárie – segundo ele um crime encomendado a mando de um traficante – ele foi mandado para prisão domiciliar na audiência de custódia pelo juiz Daniel Berthold, que não viu maiores problemas e riscos à sociedade.

O magistrado levou em conta os bons antecedentes do criminoso.

Na cidade, ninguém se conforma. Os taxistas fizeram protestos e o assunto é pauta de rodas de amigos.

No entanto, o assassino descumpriu alguns critérios da prisão domiciliar, saiu de casa e está desaparecido, conforme informações do jornal local O Correio.

A promotora de justiça do caso, Maristela Schneider, considera o delinquente foragido. Ela tentou obter a prisão preventiva mas a mesma foi negada pela juíza Rosuíta Maahs, da 1ª Vara Criminal de Cachoeira.

Na última quinta-feira o Ministério Público ingressou com recurso especial no Tribunal de Justiça do RS e até este fim de semana não havia decisão.

Segundo Maristela Schneider ele cometeu “um crime gravíssimo, com crueldade e frieza”.

A constatação parece ser uma obviedade para a promotora e certamente para a imensa maioria dos cidadãos, mas não é para parcela do poder judiciário brasileiro.

A pergunta que se impõe: é possível acreditar na Justiça diante de fatos como este?

                                                              roupas do taxista assassinado – divulgação Brigada Militar

 

 

o assassino

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *