Insira sua pesquisa e pressione ENTER

Famílias armadas e empoderadas – por Carla Rojas Braga

Há alguns dias,  uma mulher atirou em dois bandidos que tentavam assaltá-la e ao marido enquanto estacionavam , pela manhã,  em uma grande avenida de Porto Alegre.

Ela pegou a arma do esposo, que estava no carro, e atirou certeiramente. Brava! Menos dois.

Muito se fala no tal ” empoderamento feminino”, pois, para mim, o que empodera uma mulher é a inteligência,  a educação, a cultura, a saúde mental. Mas, pensando bem, uma mulher armada, com uma boa pontaria e presença de espírito,  também tem muito poder nessas horas.

Também nessa semana, vimos na imprensa  que um agricultor sacou sua arma e matou dois bandidos que se faziam passar por vendedores de um trator, mas que, na verdade,  queriam sequestrar e matar. Ele também teve inteligência e presença de espírito para fingir estar passando mal e sacar sua pistola com êxito.

Com as novas normas para posse de armas, muitas pessoas estão podendo ter esse recurso para defesa pessoal, mas também surgiram novas preocupações.

Como bandidos nunca precisaram da lei para ter armamentos, agora quem vai poder comprar armas para se defender da criminalidade são os cidadãos comuns. Sendo assim, a preocupação com a convivência de armas e crianças no mesmo recinto é uma questão que muito me perguntam.

Quando eu era criança, era comum as pessoas terem armas em casa. Principalmente em casa de caçadores, como eram vários homens da minha família. Nunca nenhuma criança mexeu naquelas armas. As regras sempre foram claras. Crianças não mexiam nelas porque podiam morrer ou matar alguém. As armas ficavam guardadas em local sabido por todos. Mas,naquela época, uma série de regras e hierarquias eram mais claras.

Acho que tudo ficava mais fácil assim, para todos.

No Brasil, de uns anos para cá, entretanto, criou-se a cultura de que quem segue as regras é trouxa, que bacana é o malandro.

Em muitas famílias, crianças não são ensinadas a seguir as leis e regras, mas a serem “malandrinhas”.

Por influência dos governos de esquerda, que estiveram no poder por décadas e deixaram ramificações e sementes na nossa sociedade, vivemos numa era da relativização de tudo, como se não existisse mais certo e errado.

Mas a hierarquia e autoridade dos pais são extremamente importantes na estrutura da família e na formação da personalidade das crianças.

Pai é pai, amigo é amigo. Pais dizem nãos, orientam e são quem manda em casa.

Não existe confusão entre ser autoritário e ter autoridade.

Isso é bem claro.

Pais são autoridades e filhos precisam acatar as determinações dos pais e da lei. Isso é o que eu chamo de empoderamento dos pais.

Como fazer para ter armas e filhos em casa?

Orientar, controlar e cuidar.

Os pais desempenham um papel fundamental no desenvolvimento de práticas seguras e, em última análise, são responsáveis ​​pelo comportamento e pela segurança de seus filhos. Lições e conceitos isolados podem ser rapidamente esquecidos, mas com a repetição, as crianças se lembram dos procedimentos de segurança.

Só que isso vale para tudo.

Vale para o condicionamento para ter armas em casa, mas também para a criação de filhos hoje em dia.

Para ter uma arma, você precisa ter saúde mental, bom senso, maturidade, responsabilidade e inteligência.

Para ter filhos também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *