Insira sua pesquisa e pressione ENTER

Dinheiro local na bolsa supera estrangeiro pela primeira vez desde 2014

Pela primeira vez, desde 2014, a Bolsa de Valores de São Paulo (B3) teve em 2019 mais dinheiro brasileiro do que estrangeiro. A participação do capital nacional no mercado de ações ultrapassou a do estrangeiro em 52% ante 48%, com a queda de juros que desceu para o menor patamar da história.

Para os estrangeiros, o cenário de incerteza causado pela Guerra Comercial da China com os Estados Unidos e pela crise em alguns países latinos fez com que eles retirassem cerca de R$ 40 bilhões da Bolsa paulista, contrariando as previsões. “Ainda há um ceticismo por parte do investidor estrangeiro em relação às questões econômicas do Brasil. Eles não foram contagiados pelas mudanças”, diz o economista da Tendências Consultoria Integrada, Silvio Campos Neto.

De acordo com a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), em 2019, a captação líquida dos fundos de ações cresceu quase 200%, para R$ 86 bilhões. “Depois de décadas de retorno fácil, o investidor brasileiro está tendo de se acostumar com riscos novos. É uma revolução. Saímos de um mundo fácil para outro que tem de tomar risco”, afirma Campos Neto, da Tendências.

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *