Insira sua pesquisa e pressione ENTER

Confira algumas tendências para o setor de TI

A Pure Storage fez uma lista com as principais previsões no mercado de TI em 2022, que foi divulgada pelo IT Fórum. “Em relação à tecnologia, esperamos mais adoção dos modelos como um serviço (aaS) e, também, de armazenamento como um serviço (STaaS). O Kubernetes ainda é novo para o mercado brasileiro, e prevemos um interesse crescente em contêineres e Kubernetes em nossa região no próximo ano, conforme as empresas percebem o valor do Kubernetes para as empresas, que é a automação para trazer mais agilidade, competitividade e otimização operacional”, resume Paulo de Godoy, country manager da Pure Storage.

A primeira delas são as Kubernetes, que são diretamente ligados à agilidade, competitividade e otimização operacional. “Hoje, mais de 90% dos novos aplicativos são desenvolvidos em contêineres e, sem dúvida, é a tecnologia do futuro. No entanto, muitos revendedores ainda não entendem os benefícios que os contêineres podem trazer para seus negócios e, principalmente, para seus clientes. Em 2022, deve haver um esforço concentrado para educar as equipes de canal no nível mais avançado e construir casos de uso mais concretos e exemplos reais que demonstrem o valor que os contêineres oferecem”, diz Matthieu Brignone, VP Global Partner Organization , EMEA & LATAM da Pure Storage.

A adoção de soluções como um serviço (as-a-service) e de serviços gerenciados disparou durante a pandemia, devido às necessidades crescentes por serviços de TI. “Alguns canais afirmam que cerca de 75% de sua receita passou a vir dos serviços gerenciados em comparação aos métodos ‘tradicionais’ de revendas. Essa tendência continuará a evoluir em 2022, e veremos um crescimento inédito ano a ano na adoção as-a-service. Isso se deve em grande parte aos usuários finais, que estão questionando mais os revendedores em relação à eficiência de custos, flexibilidade e experiência do usuário, impulsionados pela necessidade de mais agilidade após os desafios dos últimos dois anos”, afirma Brignone.

(Equipe do site)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *