Insira sua pesquisa e pressione ENTER

Como reconhecer um psicopata pelos discursos – por Carla Rojas Braga

Todo mundo mente de vez em quando, mas temos de distinguir a mentira banal da mentira psicopática.

O psicopata utiliza a mentira como uma ferramenta de trabalho.

Normalmente está tão treinado e habilitado a mentir que é difícil captar quando mente.

Ele mente olhando nos olhos e com atitude completamente neutra e relaxada.

Não mente circunstancialmente ou esporadicamente para conseguir safar-se de alguma situação.

Ele sabe que está mentindo, não se importa, não tem vergonha ou arrependimento, nem sequer sente desprazer quando mente.

E mente, muitas vezes, sem nenhuma justificativa ou motivo.

Normalmente diz o que convém e o que se espera para aquela circunstância.

Pode mentir com a palavra ou com o corpo, quando simula e teatraliza situações vantajosas para ele, podendo fazer-se arrependido, ofendido, magoado. É comum que o mentiroso contumaz priorize algumas fantasias sobre circunstâncias reais. Isso porque sua personalidade é narcisística e quer ser admirado.

Pode fingir ser o mais rico ou o mais pobre, o melhor do mundo, ou o mais sofrido, o mais justiceiro ou o mais injustiçado. Assim, ele tenta adaptar a realidade a sua imaginação, a seu personagem, de acordo com a circunstância e com sua personalidade  narcisística.

Esse indivíduo pode converter-se no personagem que sua imaginação cria como adequada para atuar no meio com sucesso, dando a todos a sensação de que estão, de fato, em frente a um personagem verdadeiro.

Além disso, tem grande dificuldade para entender os sentimentos dos outros mas, havendo interesse próprio, pode dissimular esses sentimentos socialmente desejáveis. Na realidade, é pessoa extremamente fria do ponto de vista emocional.

Falta empatia, que é a capacidade de se colocar no lugar do outro.

Psicopata não tem.  Só pensa em si.

Além disso, é portador de grande insensibilidade moral, faltando-lhe totalmente a noção de ética.

O psicopata não tem freios eficientes a sua impulsividade, o que o impulsiona  a cometer crimes.

Essa impulsividade reflete também um baixo limiar de tolerância às frustrações.

Dificilmente ou nunca aceita os benefícios da reeducação, da advertência e da correção.

Pode dissimular, durante algum tempo,  seu caráter anti-social, entretanto, na primeira oportunidade volta à tona com as falcatruas de praxe, o que o torna incorrigível.

Psicopata não tem cura.

Discurso de político psicopata é igual ao canto de sereia.

Diz a lenda que as sereias seduziam os marinheiros para afogá-los em águas profundas.

Ele também quer te afogar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *